Gilson Ferreira não é fiel ao seu grupo é fiel aos seus líderes

Gilson Ferreira (PSB) durante o programa “A Boa Política” no dia 27 de Abril de 2019 – Foto: Anderson Eliziário





Anderson Eliziário
João Pessoa


A pergunta foi simples e direta ao presidente da Câmara de Pedra Lavrada, Gilson Ferreira (PSB), no último sábado (27), durante o programa “A Boa Política”. 


“Gilson, por que tanta lealdade ao ex-prefeito Tota e ao seu grupo?”


O presidente argumentou que teve a oportunidade e o encorajamento na política lavradense através do ex-prefeito Tota Guedes (DEM) e do ex-prefeito Roberto Cordeiro (PSB).   


“Somos amigos, principalmente, Tota Guedes e Roberto. Para que eu pudesse chegar aonde cheguei foi através do convite de Roberto. […] Desafio alguém provar que já pedi algo aos dois que me beneficiasse. Mas, sempre que eu pedia para outra pessoa eles nunca falharam comigo. Por isso, essa lealdade. Espero que nossa amizade continue por muito tempo, não só politicamente, mas pessoalmente”, disse.


Gilson também frisou que no momento da turbulência após sua eleição para à presidência da Câmara de Pedra Lavrada, sempre que falava com o ex-prefeito Tota Guedes ele o pedia paciência que os ânimos seriam normalizados.


Tota e Roberto nunca atacaram Gilson publicamente por ter se articulado com a base do prefeito Jarbas Melo (PSD) para à presidência da Câmara de Pedra Lavrada. Mesmo assim, Gilson teve todos os motivos para, em 2017, se afastar do grupo de oposição devido a forma “indiferente” como era tratado por alguns membros da oposição.  


O que pensar sobre isso?



A declaração do presidente da Câmara é muito importante. 


Primeiro que fica claro para os demais “postulantes” a lideres do grupo de  oposição a quem pertence a lealde do presidente da Câmara de Pedra Lavrada. E que se esperam contar com o apoio de Gilson, esqueçam. 


A segunda fala de Gilson, que merece atenção, e que também fala muito aos “postulantes a lideres” dentro do grupo da oposição é: “Tota vai ser candidato no próximo ano. Se não for, quero que seja feita uma pesquisa para a escolha do candidato”, disse. 


Gilson também falou que o nome dele pode fazer parte dessa pesquisa também. “Meu nome vai está a disposição também, porque não?”.


Assim como para à presidência da Câmara de Pedra Lavrada, em 2017, o vereador Gilson parece não ter ânimo para escolher de forma deliberada entre os vereadores Júnior (PSB) e Neguinho do Cordeirão (PR). 


Afinal, a mensagem foi dada em alto e bom tom: 
Sua lealdade não é ao grupo de oposição. Sua lealdade pertence aos lideres da oposição Tota e Roberto. 


– Voltamos a qualquer momento-


Por Anderson Eliziário 
Em 01 de maio de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: